Saúde da Pele, Cabelos e Unhas

Foliculite

O que é?

Foliculite é uma infecção de pele que se inicia nos folículos pilosos. Geralmente, é motivada por uma infecção bacteriana ou fúngica, mas também pode ser causada por vírus e, até mesmo, por uma inflamação de pelos encravados. A infecção se apresenta no formato de pequenas espinhas, de pontas brancas, em torno de um ou mais folículos pilosos. A maioria dos casos de foliculite é superficial, mas pode coçar e doer. Normalmente, a inflamação do pelo se cura sozinha, mas casos mais graves e recorrentes merecem atenção e tratamento com um dermatologista, pois podem levar a perda permanente do pelo e cicatrizes.

Sintomas:

A foliculite pode ser superficial ou profunda. No primeiro caso, afeta apenas a parte superior do folículo piloso. Os sintomas são: surgimento de pequenas espinhas vermelhas, com ou sem pus; a pele pode ficar avermelhada e inflamada; coceira e sensibilidade na região. São raros os casos deste tipo de foliculite que causam complicações. Quando a inflamação atinge áreas mais profundas da pele, pode haver a formação de furúnculos. Os sintomas são: grandes áreas avermelhadas; lesões elevadas com pus amarelado no meio; as partes atingidas ficam muito sensíveis e doloridas; apresentando em alguns casos dor intensa. As chances de cicatrizes são maiores nesses casos, e pode haver destruição do folículo piloso. Qualquer um pode desenvolver foliculite. Mas certos fatores tornam a pessoa mais suscetível à condição, incluindo: doenças que diminuem a imunidade (como diabetes), leucemia crônica e AIDS; apresentar acne ou dermatite; usar medicamentos, como cremes de corticóide ou terapia antibiótica em longo prazo e estar acima do peso, entre outros. As causas mais comuns de dano folicular são: - Fricção do barbear ou roupas apertadas; - Calor e suor, como o causado pelo uso de luvas ou botas de borracha; - Certas condições da pele, como dermatites e acne; - Lesões na pele por arranhões ou feridas cirúrgicas; - Curativos de plástico ou fita adesiva em contato com áreas de pelo.

Foliculites Superficiais

  • Foliculite Estafilocócica: é tipo mais comum. Ocorre quando os folículos pilosos são infectados por bactérias, mais comumente pela Staphylococcus aureus. É caracterizada por coceira, vermelhidão local e pus, podendo ocorrer em qualquer região do corpo que possua pelos. Embora os estafilococos vivam na pele o tempo todo, podem causar problemas quando entram no corpo por meio de um corte ou outro ferimento. Isto pode ocorrer por arranhões ou lesões na pele.
  • Foliculite por pseudomonas (foliculite da banheira quente): as bactérias Pseudomonas aeruginosa proliferam em ambientes aquáticos nos quais os níveis de cloro e o pH não são bem regulados, como banheiras de hidromassagem e piscinas aquecidas. A infecção aparece entre oito horas e cinco dias após a exposição à bactéria. São erupções vermelhas que coçam e, mais tarde, bolhas com pus também podem aparecer. Áreas que ficam úmidas por mais tempo são as mais propensas à infecção, como as cobertas pela roupa de banho.
  • Pseudofoliculite da barba: inflamação dos folículos pilosos na área da barba. Os pelos raspados, ao crescerem, se curvam e voltam para o interior da pele. Afeta principalmente homens negros, na face e pescoço. Pessoas que fazem depilação com cera na área do biquíni, podem desenvolver pseudofoliculite na virilha. Este processo leva à inflamação e, às vezes, geram cicatrizes. Foliculite Ptirospórica: comum em adolescentes e homens adultos, é causada por um fungo que causa espinhas, pápulas avermelhadas e coceira. Pode acometer o dorso, tórax anterior, o pescoço, ombros, braços e face.

Foliculites profundas (atingem todo folículo piloso)

  • Sicose barba: pequenas inflamações, que se apresentam como pústulas, aparecendo primeiro no lábio superior, queixo e mandíbula. Podem se tornar recorrentes, surgindo com o barbear diário. Em casos mais graves, podem deixar cicatrizes.
  • Foliculite por bactéria gram-negativa: costuma se desenvolver quando a pessoa usa antibióticos por longo tempo para tratar acne. Esses medicamentos alteram o equilíbrio normal da pele, fazendo com que as bactérias gram-negativas se desenvolvam. Na maioria das pessoas não há grandes problemas, principalmente após cessar o uso dos medicamentos. Em alguns casos, elas podem se espalhar pela face e causar lesões graves.
  • Furúnculos e carbúnculos: ocorrem quando os folículos pilosos são profundamente infectados por bactérias estafilocócicas. Geralmente, se inicia repentinamente como pápulas vermelhas e doloridas. A pele circundante também pode estar vermelha e inchada. Na evolução enche-se de pus e cresce gradualmente, tornando-se cada vez mais dolorida. No estágio final rompe e pode drenar secreção purulenta. Lesões pequenas costumam curar sem deixar cicatrizes. O carbúnculo é um aglomerado de furúnculos que, muitas vezes, ocorre na parte de trás do pescoço, ombros, costas e coxas. São infecções mais profundas e graves do que um único furúnculo. Quase sempre deixam cicatrizes.
  • Foliculite eosinofílica: acomete principalmente pessoas infectadas pelo vírus HIV. É caracterizada por manchas avermelhadas e feridas com pus que podem coçar, principalmente na face e nos braços. As feridas costumam se espalhar e deixam a pele das áreas afetadas mais escuras do que a cor normal. A causa exata da foliculite eosinofílica não é conhecida, embora possa envolver o mesmo fungo responsável pela foliculite pitirospórica.

Tratamentos:

Um médico pode diagnosticar a foliculite simplesmente examinando a área acometida da pele. Em alguns casos, amostras da secreção da lesão são enviadas para que sejam examinadas em laboratório. Casos persistentes ou recorrentes podem exigir tratamento. A terapia dependerá do tipo e da gravidade de cada infecção. Mesmo se o tratamento ajudar, a infecção pode voltar. Foliculites bacterianas: podem ser tratadas com antibiótico tópico, oral ou uma combinação dos dois. Também pode ser recomendado evitar raspar/barbear a área, até que a infecção regrida. Pseudofoliculite da barba: trocar a lâmina pelo barbeador elétrico pode ser uma opção. Usar água morna ao barbear-se; massagear os pelos para que fiquem mais amolecidos; e passar o barbeador sempre no sentido do crescimento dos pelos. Após terminar o processo, passar um hidratante. Foliculite Pitirospórica: antifúngicos tópicos ou orais são os mais eficazes para este tipo. Furúnculos e carbúnculos: o médico pode drenar a infecção com uma pequena incisão para aliviar os sintomas. Pode ser necessário o uso de antibióticos para ajudar na melhora dos sintomas. Foliculite eosinofílica: os corticosteroides são o melhor tratamento. Em casos graves é necessário entrar também com a medicação oral. Em pacientes com HIV, além dos esteroides tópicos, o médico pode receitar anti-histamínicos via oral.

Prevenção:

  • Manter a pele limpa, seca e livre de escoriações ou irritações pode ajudar a prevenir a foliculite.
  • Evitar lavagens antissépticas rotineiramente, pois deixam a pele seca e eliminam as bactérias protetoras.
  • Manter a pele hidratada.
  • Tomar cuidado ao fazer a barba, usar gel de barbear, espuma ou sabão para lubrificar as lâminas e evitar cortes.
  • No caso da pseudofoliculite da barba, o mais indicado é usar barbeador elétrico.